Correio Central
Voltar Notícia publicada em 01/10/2021

CAFÉ DO OESTE: Documentário sobre Ouro Preto do Oeste (RO) será exibido neste sábado, 2

O longa-metragem será exibido no auditório da Câmara Municipal; presença no lançamento deve ser confirmada com antecipação.

Neste sábado, dia 2 de outubro, às 19h, será exibido no auditório da Câmara Municipal da Estância Turística Ouro Preto do Oeste (RO) o documentário “CAFÉ DO OESTE”. O longa-metragem foi filmado ao longo de um mês, em fevereiro de 2021, e registra conversas com vários moradores do município.

Devido às medidas de prevenção à COVID-19, apenas poderão comparecer aqueles que confirmarem presença previamente, a inscrição para assistir gratuitamente o filme pode ser feita através do contato via WhatsApp (21) 992345676, com Emilly.

O processo de filmagem começou com uma busca por moradores antigos da cidade que pudessem compartilhar suas histórias. Apesar de todas as dificuldades impostas pela pandemia de COVID-19, muita gente entrou em contato disposta a conversar com a equipe de filmagem.

Além de pioneiros e pessoas que vivem na cidade há muito tempo, moradores jovens também entraram em contato com assuntos e curiosidades interessantes para mostrar da cidade. Com todas essas pessoas, Café do Oeste aborda tanto a história e a origem do nosso município quanto músicos e outros artistas atuais com muito potencial, trabalhos arqueológicos e histórias pessoais.

Em cena do filme Maria de Lima Souza, a dona "Nininha", que completa 90 anos em novembro, uma das moradoras que contou parte de sua história. 

A equipe de filmagem foi composta por apenas duas pessoas: Keven Fongaro, natural de Ouro Preto do Oeste e formado em Cinema e Audiovisual pela Universidade Federal Fluminense, e por Emilly Camila Lara Lima, fotógrafa rondoniense que mora na cidade há alguns anos.

Em termos de produção cinematográfica, a equipe é considerada muito reduzida, já que geralmente dezenas de pessoas trabalham para fazer um filme acontecer – mas para o filme Café do Oeste o número funcionou muito bem: a população recebeu a proposta de ter um filme produzido na cidade de braços abertos e onde a equipe parava as pessoas se deixavam ser filmadas sem problemas.

Keven Fongaro conta que, algumas das conversas que aparecem no filme nasceram de encontros casuais, com moradores que viram as filmagens acontecendo nas ruas e abordaram querendo entender melhor o que estava acontecendo.

O longa-metragem Café do Oeste também se construiu com imagens e sons da cidade mesmo, não só de conversas com moradores. Muitos dias de filmagem foram dedicados a procurar pontos específicos da cidade em que boas imagens ou sons representativos pudessem ser conseguidos. Diversos locais conhecidos, como o Morro Chico Mendes e o Bosque aparecem.

Sem nenhum investimento particular e produzido com verba distribuída pelo governo de Rondônia através da Lei Aldir Blanc, Café do Oeste é um filme que espera ser um ponto de partida para o cinema na cidade. A expectativa é que novos trabalhos possam surgir incentivados por ele – inclusive, os diretores já trabalham para viabilizar próximos projetos.

Os autores do documentário informaram que o próximo passo é fazer com que o filme seja exibido em todo o Brasil a partir de 2022 através de Festivais, Mostras e parcerias, mas antes disso a primeira exibição acontecerá presencialmente em Ouro Preto do Oeste.

O lançamento será no próximo sábado, às 19h, no auditório da Câmara Municipal, apenas poderão comparecer aqueles que confirmarem presença previamente através do WhatsApp (21) 992345676, com Emilly.

Bastidores da captura de sons do ambiente na Praça da Matriz e na entrada do Morro Chico Mendes.

Keven Fongaro, natural de Ouro Preto do Oeste e formado em Cinema e Audiovisual pela Universidade Federal Fluminense

 

 

 

 

Fonte: www.correiocentral.com.br