Correio Central
Voltar Notícia publicada em 05/10/2021

Órgãos de garoto morto atropelado por moto vai salvar pacientes no Pará, Distrito Federal e em Rondônia

Em Rondônia, Cacoal é destaque em número de cirurgias de captação de órgãos realizadas em 2021, informa o governo.

O Governo de Rondônia, por meio da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) do Complexo Hospitalar de Cacoal, em parceria com a Coordenação de Organização de Procura de Órgãos (OPO) da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), realizou duas cirurgias de captação de órgãos em Cacoal na última semana.

Aos poucos, a doação de órgãos tem começado a fazer parte das rodas de conversas dos rondonienses e o tema tem ganhado a atenção de muitas famílias. Hoje, só é possível fazer a doação com a autorização expressa de pelo menos um familiar, após constatado o óbito. Essa popularização do tema tem sido essencial para que vidas sejam salvas e para que pacientes, que aguardam na fila por transplante, tenham a chance de viver com mais qualidade.

Para a coordenadora do CIHDOTT, Leiri Bonet, em muitos casos, manifestar a vontade de doar em vida, ajuda os familiares na hora de decidir. “Com este ato em vida, tiramos o peso da decisão da família que já está fragilizada com a notícia do óbito. Sabendo do ‘SIM’ de seu ente querido em vida, a família só irá concretizar esta vontade para a equipe, autorizando a doação”, destacou.

Uma das cirurgias foi realizada na quinta-feira, 30 de setembro, no Hospital Regional de Cacoal (HRC). O paciente foi um jovem de 14 anos, do município de Vale do Paraíso. Vítima de um traumatismo crânio-encefálico (TCE), o garoto estava internado na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica do HRC. Foram os pais do jovem que autorizaram a doação. Com o gesto, pacientes do Distrito Federal, do Pará e de Rondônia ganharam uma nova chance, a possibilidade de uma vida melhor.

Nilmar Souza, que residia na área rural de Ouro Preto do Oeste, na linha 203, morreu após ser atropelado na linha 613, Vale do Paraíso. Ele empurrava uma motocicleta para retirá-la da estrada, quando foi atropelado por um indivíduo em outra motocicleta sem farol. Imagem: cirurgia de captação de órgãos no HEURO

Já na sexta-feira (1º), o doador foi um homem de 40 anos, de Rolim de Moura. Também vítima de um traumatismo crânio-encefálico, ele estava internado no Hospital de Urgência e Emergência Regional de Cacoal (Heuro), onde foi realizada a cirurgia de captação. A doação foi autorizada pela irmã e os órgãos do paciente foram encaminhados para São Paulo, Rio de Janeiro e também Rondônia.

Nas duas cirurgias realizadas na última semana em Cacoal, foram captados fígado, rins e córneas dos doadores. “Com estas duas cirurgias, chegamos a sete captações realizadas em Cacoal, neste ano de 2021. Podemos dizer, com isso, que este ano retiramos da fila de espera 32 pessoas, que ganharam esperança de dias melhores”, ressalta a coordenadora da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante em Cacoal.

De acordo com a profissional, o Brasil registra uma fila de 53.218 pessoas aguardando um doador. O transplante de rim ocupa o topo do ranking. São mais de 31 mil pessoas na espera. Em seguida vem o transplante de córnea, com mais de 19 mil brasileiros na fila.

No estado de Rondônia, as cirurgias de captação de órgãos também são realizadas em Porto Velho e Vilhena. Em 2021, das 11 captações de órgãos que ocorreram em Rondônia, sete foram realizadas em Cacoal.

Em Rondônia, o sucesso e a agilidade para a captação e transporte de órgãos para a doação são frutos da dedicação e do esforço de diversos agentes envolvidos. “Queremos agradecer a Força Aérea Brasileira (FAB), que disponibiliza aeronaves e equipes para o transporte do fígado, pois o mesmo tem tempo de isquemia curto e precisa de muita agilidade. Agradecemos ao Governo de Rondônia que, com a terceirização de aeronaves, permite um transporte ágil de Cacoal à Porto Velho e a parceria de empresas aéreas (voos comerciais) que levam os órgãos para o seu local de destino”, concluiu Leiri Bonet.

Texto: Giliane Perin
Fotos: Giliane Perin, Leiri Bonet
Secom - Governo de Rondônia

Fonte: www.correiocentral.com.br