Correio Central
Voltar Notícia publicada em 04/08/2022

Moradores de ruas do centro de Ouro Preto do Oeste são levados à Delegacia para triagem

A SEMAS está distribuindo um folhetim na área central da cidade orientando comerciantes e cidadãos a não dar esmola aos pedintes.

Ação conjunta da Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS) com apoio das forças policiais da Estância Turística Ouro Preto do Oeste, retirou da área central da cidade um grupo de moradores de rua que agem como pedintes e pernoitam em frente a estabelecimentos comerciais.

Comerciantes já não suportavam mais as condições em que a frente de suas empresas amanhecia devido a sujeira acumulada, além do odor da prática de alguns, de fazer necessidades pessoais onde dormiam, o que obrigava funcionários a higienizar calçadas todos os dias.

Na DP, ficou constatado que, o morador de rua que permanece sentado em uma cadeira de rodas não é impossibilitado de andar, na delegacia ele desceu e foi caminhando sem ajuda até a sala de triagem. Ele seria uma espécie de líder dos demais indivíduos.

Foi utilizado um micro-ônibus da Secretaria para transportar o grupo sem maiores problemas, todos eram homens, para a Delegacia de Polícia Civil, onde foi feito uma triagem para identificação de todos, principalmente se havia algum indivíduo com ações judiciais em seu desfavor, como já ocorreu.

ALERTA:

O único caso em Ouro Preto do Oeste que gera preocupação, no momento, é o de um rapaz, J.V.O., de 25 anos, com grave problema psiquiátrico, que costuma circular de bicicleta munido de uma barra de ferro ou pedaço de madeira com prego.

Ele costumava pernoitar as proximidades do Fórum, porém uma determinação Judicial recomendou por sua internação, ele foi encaminhado para Porto Velho ao Hospital de Base, porém fugiu do Hospital Santa Marcelina para onde foi transferido, retornou para Ouro Preto do Oeste, e ultimamente só circula de madrugada pelas ruas da cidade.

Quanto aos indivíduos que foram recolhidos na manhã de terça-feira do centro da cidade, todos foram levados para um local arejado da SEMAS, receberam kits higiénicos, tomaram banho, ganharam roupas. A maioria não quer voltar pra casa.

Um morador de rua chegou a ser aceito na Casa Rosseta, mas feriu padrões e descumpriu regras e não é mais aceito na instituição. Outro, que reside na região de Cujubim já foi encaminhado par sua cidade, mas retornou a Ouro Preto. Há ainda casos de moradores que têm casa alugada na cidade, mas preferem ficar nas ruas, ou não são aceitos pelos familiares. 

Todos os casos foram devidamente analisados e foi sugerido auxílio social para que cada um retorne para sua cidade de origem e, no caso dos que têm residência na cidade de Ouro Preto, permaneçam em seus lares.

SEMAS LANÇA CAMPANHA “NÃO DÊ ESMOLA” E ORIENTA POPULAÇÃO

“Dar esmola favorece a permanência de pessoas nas ruas em situação de constante risco de morte, além de estimular o consumo de álcool e drogas”.

Com essa mensagem, a SEMAS está distribuindo um folhetim na área central da cidade com a orientação de que, a participação efetiva da sociedade gera mudanças e demonstra que o problema (também) é nosso, da sociedade em geral.

O hábito de doar dinheiro para pedintes é uma prática enraizada em quem o faz com desejo de ajudar. Todavia, há outra parcela que doa o dinheiro para evitar contratempos com indivíduos mais alterados, e agressivos, geralmente compulsivos também à bebida.

Fonte: WWW.CORREIOCENTRALRO.COM.BR