Correio Central
Voltar Notícia publicada em 07/10/2021

Orquestra em Ação de Ji-Paraná (RO) completa 18 anos e celebra a inclusão à era digital

Projeto gratuito já levou educação musical a mais de 15 alunos e contribui com a inclusão sociocultural em Ji-Paraná e região.

O Projeto Social Orquestra em Ação de Ji-Paraná (RO) atingiu no dia 1º de outubro a sua maioridade celebrando o retorno gradativo das atividades presenciais com os alunos, e planejando apresentações para o Dia das Crianças este mês e nas festividades de fim de ano, condição agora possível graças ao avanço da vacinação da população, e a flexibilização de protocolos da pandemia.   

A Orquestra em Ação, que funciona em anexo na Escola Estadual José Francisco dos Santos, oferece educação musical gratuita a crianças e jovens com oferta de cursos de Musicalização Infantil e ensina a tocar instrumentos musicais Contrabaixo, Guitarra, Percussão, Piano, Violão, Violino, Violoncelo e Viola Clássica. No mês de agosto, foram abertas as inscrições para o retorno das aulas de Música do segundo semestre.

Durante o período da pandemia, a contar de março de 2020, a Orquestra em Ação não parou, as aulas presenciais deram lugar às aulas online. A Escola de Música se adequou a situação adaptando novos planos de aulas e passou a utilizar as ferramentas digitais disponíveis para enviar instrumentos e conteúdo para os alunos em casa, e o resultado foi o aumento excepcional no índice de aprendizado.    

Quando foi divulgado o Decreto do 1º lockdown no Estado de Rondônia, no dia 16 de março de 2020, a equipe de coordenação das atividades da orquestra se viu diante dilema que naquele momento era um problema, havia a necessidade de se adaptar para garantir o acesso do aluno ao material, porém ao final foi colhida uma situação favorável.

O Maestro Wendeon França, conta que após os ajustes para a continuidade das atividades formou uma turma com 33 alunos com idade entre oito e 12 anos estudando online, e desse total 27 fizeram a prova: “Na verdade, quando começou a pandemia a gente não sabia direito o que ia acontecer. Foi uma surpresa, eles já estão na era digital. Tivemos resultado muito positivo na pandemia, no curso de cordas o índice foi alto”.

Alunos obtiveram desempenho e maior índice de conclusão do aprendizado com as aulas online

A educadora Solange Ramires Salomão Gurgacz, Coordenadora Geral do Projeto, formada em Matemática, Física e Artes, considera como primordial para a manutenção do Projeto no período da pandemia a dedicação de todos os envolvidos, e a grandeza que se tornou a Orquestra ao longo dos anos o que permitiu, entre outras situações, a de fornecer instrumentos musicais para os alunos estudarem em casa.

Para a educadora, a contrapartida dos pais também é fundamental para estimular a criança ou adolescente. Solange Gurgacz cita o caso de um aluno que queria aprender a tocar bateria, instrumento de percussão que não dá para ceder ao aluno. “Percussão fica mais difícil, então um de nossos professores fabricou um praticável, no formato de uma bateria todo em madeira”.

Solange Gurgacz mostra "adaptável" de bateria construído em madeira para alunos continuarem treinando em casa durante a pandemia   

  

Com o retorno das atividades presenciais o público da Orquestra em Ação se renova, e abre espaço para mais crianças como Quesia Rodrigues, de 11 anos, que recentemente se mudou com a família de Alvorada d’Oeste para Ji-Paraná, mora no Jardim Presidencial, e assim que a escola de música abriu inscrições ela já iniciou as aulas a fim de realizar seu sonho.

“Eu morava em Alvorada e lá não tem como estudar piano, que eu sempre quis aprender a tocar”, diz a aluna Quesia, monitorada por Kawany Souza, 17 anos, oriunda de São Francisco do Guaporé, que chegou à Orquestra para estudar piano, violão e canto e hoje é monitora no Projeto.  

Quesia Rodrigues chegou recentemente de Alvorada d'Oeste e já inicou as aulas de piano, que era um sonho seu. 

Através da musicalização, há 18 anos brotou a semente da fundação da Orquestra em Ação que mesmo diante da condição atípica da pandemia continuou promovendo a inclusão sociocultural para crianças e adolescentes em vulnerabilidade social, e abrindo novos caminhos para muitas pessoas através da educação musical.   

A coordenadora geral do Projeto acredita que a experiencia foi muito válida, e hoje professores e alunos estão mais preparados para lidar com o aprendizado presencial e o virtual, e as inovações que possibilitam essa realidade enviesam um futuro ainda mais promissor, no que tange ao índice superior final de cada turma formada em relação ao momento anterior à pandemia.

  PROJETO REVITALIZAR

Solange Gurgacz destaca também que, além de a Orquestra em Ação não ter parado, ainda foi concebido a partir de março dentro do terreno da Escola Estadual José Francisco dos Santos o Projeto Revitalizar, desenvolvido pela Associação de Amigos da Orquestra/Projeto Orquestra em Ação e parceiros.

O projeto Revitalizar tem como objetivo principal desenvolver a educação ambiental no ambiente escolar com foco à conscientização da sustentabilidade e preservação dos recursos naturais. No local irrigado, são plantadas árvores e produzido alimento na área recuperada, a meta é reflorestar mais de 1.500 m² de áreas desmatada no terreno da unidade escolar. 

Pais participam diretamente das atividades do projeto Orquestra em Ação em estímulo aos filhos

Apresentação glamourosa no Teatro Dominguinhos de Ji-Paraná-RO 

Orquestra em Ação durante apresentação no Teatro Municipal em Ouro Preto do Oeste

Participação da Orquestra em Ação em Cacoal, na Igreja Matriz

Instrumentos de percussão da Orquestra foram construídos pela mesma equipe que confeciona instrumentos do Olodum

 

     

 

 

Fonte: www.correiocentral.com.br