Correio Central
Voltar Notícia publicada em 13/05/2022

Em Rondônia aluno faz ameaça de atentado com matança em Colégio Militar e é identificado pela Polícia Civil

em perfil falso, aluno de Colégio Militar ameaçou promover atentado terrorista a Colégio Militar de Ji-Paraná. O ameaçador afirmou que atiraria nos alunos da escola.

Ação conjunta das forças policiais de Rondônia denominada “Operação Oráculo” identificou um adolescente de 16 anos que usando um perfil falso do Instagram promoveu graves ameaças de promover um atentado e entrar atirando no recinto do Colegio Tiradentes da Polícia Militar (CTPM) VI, a antiga Escola Estadual Júlio Guerra, no município de Ji-Paraná.

O aluno identificado como o autor da menção ao atentado terroista é estudante no Colegio Tiradentes da Polícia Militar (CTPM) 10 de Guajará-Mirim, mas ele trocou mensagens com uma aluna em Ji-Paraná, se passando por aluno local onde escreveu textos com mensagens do tipo:

“Serei breve, vou fazer uma surpresa no nosso colégio militar favorito, acho bom todo mundo estar pronto pra correr quando ouvir tiros”.

  Nem outra mensagem ele diz: “quando eu sair da sala quem tiver na mira já cai”.

O delegado Julio Cesar Souza Ferreira, que conduziu a rápida investigação, confirmou a identificação do adolescente e que o caso está elucidado e os pais de alunos de Ji-Paraná já podem ficar tranquilos. 

A Polícia Civil de Guajará-Mirim localizou o endereço do adolescente que postou as ameaças e o conduziu para a Delegacia Civil.

Polícia Civil de Rondônia emite nota sobre a Operação Oráculo.

 

Na data de ontem (11/05/22) a Polícia Civil em Ji-Paraná recebeu a ocorrência policial narrando que uma aluna do Colégio Tiradentes da Polícia Militar (CTPM) teria recebido ameaças via aplicativo Instagram, feitas por um perfil fake.

Segundo foi informado, esse perfil teria ameaçado de atentado terrorista a referida escola. O ameaçador afirmou que atiraria nos alunos da escola.

A aluna comunicou então a direção, que buscou ajuda policial por intermédio do serviço reservado do 2• Batalhão (P2).

Os policiais militares do serviço velado buscaram imediatamente o apoio da Polícia Civil em Ji-Paraná para que se instaurasse investigação devida.

Daquele momento em diante os policiais civis trabalharam de forma ininterrupta buscando identificar a autoria das graves ameaças e impedir qualquer atentado contra a escola militar.

Menos de 24 horas após, foi identificado o autor do fato, o adolescente M.G.M.B, 16 anos, residente na cidade de Guajará-Mirim.

O jovem foi localizado e interrogado, com apoio de policiais da Delegacia de Crianças e Adolescentes de Guajará-Mirim, e confessou o fato.

O adolescente também apresentou laudo psiquiátrico, dando conta de patologia psíquica em tratamento e faz uso de medicação controlada.

Questionado sobre as razões de sua ação, disse apenas que foi por “Zueira”.

O jovem será responsabilizado na forma do estatuto da criança e do adolescente, por ato infracional análogo ao crime de ameaça, em procedimento devido.

Felizmente essa ameaça não foi perpetrada por um criminoso real, mas a Polícia Civil de Rondônia demonstrou mais uma vez preparo para lidar com situações dessa natureza, preservando a vida e garantindo justiça, paz e proteção.

ORÁCULO 

A Polícia Civil alerta que a internet não é um espaço sem qualquer fiscalização ou vigilância.

Mesmo que os criminosos tentem se esconder, a polícia sempre os identificará e os responsabilizará na forma da lei.

Fonte: www.correiocentralro.com.br