Correio Central
Voltar Notícia publicada em 30/09/2021

Golpista usa nome do Lar do Idoso em Ouro Preto do Oeste para se dar bem

Valderlei admitiu que usou o nome do Lar do Idoso, mas era em benefício próprio. Delegado pede a possíveis vítimas do golpista entre em contato com a Polícia Civil

O Lar dos Idosos de Ouro Preto do Oeste, entidade mantida pela Associação para a Promoção da Vida, Dignidade e Esperança do Ancião (Promovida), foi utilizada indevidamente por um estelionatário que usou o nome da instituição para angariar doações na cidade.

Identificado por Vanderlei Valdevino Correia, de 45 anos, natural de Catanduvas-PR, o indivíduo foi reconhecido por uma das inúmeras vítimas, e ele foi intimado e qualificado na Delegacia Civil.

 Com base em depoimentos de pessoas que fizeram doações diversas, a direção do Lar do Idoso estima que o estelionatário tenha angariado ao menos R$ 7 mil em produtos, os salões de beleza da cidade foram os primeiros alvos escolhidos pelo golpista.

Interrogado na DP, Vanderlei afirmou que não é morador da cidade, disse que reside no estado de Mato Grosso, tem parentes em Cacoal-RO, e admitiu que estava pedindo em nome do Lar do Idoso em benefício próprio. O delegado Niki Alves Locatelli afirmou que Vanderlei será indiciado por crime de estelionato.

Infelizmente, conforme a lei brasileira fora de flagrante quem comete crime de estelionato não pode ser preso após ser interrogado. No entanto, quem reconhecer o indivíduo pode entrar em contato com a Polícia Civil para registrar ocorrência, a fim de que o golpista responda por seus atos.     

O site Correio Central teve acesso a vários áudios de vítimas do golpista. Ele conseguiu ganhar máquinas de cortar cabelo, tesouras e produtos diversos, além de ter pedido dinheiro em nome da instituição. Em um salão, ele disse que o pai havia morrido e precisava de ajuda.  

Uma senhora da cidade, após tomar conhecimento que o estelionatário não representa o Lar do Idoso ela o localizou e tomou de volta um acessório elétrico que tinha doado.

A Polícia Civil orienta a população para que, ao fazer uma doação, procure repassar diretamente para a entidade, não dar muita atenção a terceiros, principalmente estranhos que não se identificam com o Lar do Idoso ou outras instituições sociais que funcionam na cidade.

Fonte: www.correiocentral.com.br