Correio Central
Voltar Notícia publicada em 01/07/2022

Jornal O Globo destaca prisão de Pisquila e parte do depoimento dele à PF

Ao todo, cada imigrante pagava por volta de US$ 22 mil. Pisquila disse em depoimento que ficava com cerca de US$ 1 mil por cada vítima.

O jornal O Globo publicou nesta sexta-feira (01/07) parte do depoimento de Anderson Jeronimo de Souza, conhecido por “Anderson O pisquila”, 38 anos, que foi preso em Ouro Preto do Oeste (RO) no feriado nacional do dia 16 de junho por suspeita de envolvimento com uma quadrilha de tráfico internacional de pessoas.

A prisão, e novas informações sobre os inquéritos da Polícia Federal que apura crimes de tráfico internacional de pessoas também mereceu destaque em reportagem especial no programa Domingo Espetacular, da TV Record.  

Com o título “Traficante de Pessoas brasileiro conheceu coiotes mexicanos quando teve entrada barrada nos EUA”, a publicação do jornal divulga que, em depoimento prestado à Polícia Federal na última terça-feira, Pisquila assumiu ter “enviado “15 ou 16” pessoas recebendo cerca de US$ 1 mil por cada vítima. Ao todo, cada imigrante pagava por volta de US$ 22 mil, mas a maior parte do dinheiro era entregue aos coiotes no México”.

No depoimento, ele admitiu que passou a ser requisitado quando, já em Ouro Preto, conseguiu desenrolar a travessia de quatro brasileiros que foram barrados entre os dois países, com amigos que fez quando foi deportado. Ele disse que operava sozinho e com dois envolvidos: um brasileiro e um mexicano. 

A reportagem também traz uma afirmação do delegado da Polícia Federal Lucas Ferreira Dutra considerando que, quem vai denunciar é o MP, mas cabe a Anderson Pisquila também a acusação de homicídio com dolo eventual “sabia que as pessoas tinham que andar cerca de 65 quilômetros no deserto, ele sabia que isso não é fácil, sabia que colocava as pessoas em risco de vida”.   

A primeira reportagem da prisão de Anderson foi divulgada com exclusividade pelo site Correio Central, que também divulgou que a investigação aponta o suspeito como sendo um dos supostos coiotes responsáveis pelo envio do grupo de pessoas que cruzou a fronteira do México com os Estados Unidos em setembro de 2021, e entre elas estava a técnica em enfermagem Lenilda Oliveira dos Santos, de 49 anos, ela morreu abandonada no deserto de sede e fome.

Confira na íntegra o Link da reportagem (para assinantes) do portal do Jornal O Globo:

https://oglobo.globo.com/brasil/noticia/2022/07/traficante-de-pessoas-brasileiro-conheceu-coiotes-mexicanos-quando-teve-entrada-barrada-nos-eua.ghtml

 

 

 

Fonte: www.correiocentralro.com.br