Correio Central
Voltar Notícia publicada em 07/10/2021

Região de Ouro Preto (RO) tem 166 mulheres com medidas protetivas contra maridos

O índice de casos de agressão e violência contra mulheres disparou nos municípios da região. PM e PC combatem.

A quantidade de mulheres que sofrem algum tipo de violência doméstica ou perseguição implacável e ameaçadora em Ouro Preto do Oeste, e seus quatro municípios jurisdicionados à Comarca – Mirante da Serra, Nova União, Teixeirópolis e Vale do Paraíso – causa espanto e preocupação para as autoridades de segurança pública.

A 3ª Companhia de Policiamento Ostensivo, sediada em Ouro Preto do Oeste, atendeu desde o início da pandemia em 2020, em domicílio, 247 ocorrências de atrito entre casais que evoluíram para crime de agressão física, verbal e a perseguição (stalking) que é muito comum.

A equipe do núcleo Patrulha Maria da Penha da 3ª Cia monitora a situação de todas as vítimas e oferece atendimento a elas através do aplicativo “PMRO Cidadão”.

A editoria do site Correio Central está apurando com apoio da Polícia Civil e da Polícia Militar o mapeamento desses casos, as circunstâncias e quais fatores levaram a essa explosão de casos de violência doméstica tipificados na Lei Maria da Penha.

STALKINK

Um crime banal que se tornou muito comum, sobretudo com o advento das redes sociais, é o de stalking, que é perseguição na tradução livre, recentemente tipificado no Código penal: Art: 147 – A:”perseguir alguém, reiteradamente e por qualquer meio, ameaçando-lhe a integridade física ou psicológica, restringindo-lhe a capacidade de locomoção ou, qualquer forma, invadindo ou perturbando sua esfera de liberdade ou privacidade”.

BOTÃO DE PÂNICO

O Governo de Rondônia lançou no começo deste ano o aplicativo PMRO Cidadão, que permite, por intermédio de tecnologia facilitar o trâmite de denúncias, atendimento especializado de violência contra a mulher, inclusive com envio de fotos, vídeos ou áudios de ocorrências na sociedade em geral.

GRÁFICO DE OCORRÊNCIAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA DA 3ª COMPANHIA DE POLICIAMENTO OSTENSIVO EM OURO PRETO DO OESTE

A 3ª Cia confirmou que há muitas mulheres utilizando o aplicativo, assim como algumas nem baixam temendo represália ou reação violenta de seus companheiros com histórico de agressividade.  Para baixar o aplicativo no celular e dispor do ícone “BOTÃO DE PÂNICO”, mulheres que se sentem ameaçadas e inseguras podem acessar os links (https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.ro.pm.pmrocidadao) ou IOS (https://apps.apple.com/br/app/pmro-cidad%C3%A3o/id1535839641).

Fonte: www.correiocentral.com.br