Correio Central
Voltar Notícia publicada em 04/05/2022

Mulher é morta pelo marido com tiro na boca na LH 56 em Mirante da Serra-RO

Ângela tinha 45 anos. No local do crime a polícia apreendeu 28 munições calibre 20 intactas e uma faca pantaneira suja de sangue.

Registrado na noite desta terça-feira (03) no município de Mirante da Serra (a 62 Km de Ouro Preto do Oeste) um crime de feminicídio cometido com muito ódio e brutalidade, no qual foi vítima Ângela Maria Colatrones dos Santos, 45 anos. 

Ângela foi assassinada com um tiro na boca disparado de espingarda calibre 20, de dois canos, o crime aconteceu na residência dela na linha 56, km 07, na zona rural cujo acesso à vicinal se dá a 2 Km do centro de Mirante da Serra. 

A Polícia Militar foi acionada por vizinhos que ouviram disparos de arma de fogo e ao chegarem na propriedade se depararam com o marido da vítima Josias Nascimento dos Reis, de 53 anos, com sangue da esposa por todo o corpo. 

Os policiais militares deram voz de prisão ao marido da vítima que, em primeiro momento, tentou resistir em se entregar, mas foi contido, preso e encaminhado para a Delegacia Civil de Ouro Preto do Oeste para ser flagranteado. 

Na residência, os policiais militares apreenderam a espingarda calibre 20 usada no assassinato da mulher já municiada com 2 cartuchos intactos, foram encontrados os dois cartuchos deflagrados na cena do crime. Ao todo, a polícia localizou 28 cartuchos intactos na casa de Josias.  

A Polícia Militar também recolheu no quintal da casa uma faca pantaneira, medindo em torno de 40 cm de comprimento, suja de sangue no cabo. Equipe da Polícia Técnico-científica (Politec) da Polícia Civil esteve no local para realização do trabalho de coleta de provas materiais.

MÃE FOI MORTA NA FRENTE DOS FILHOS 

Toda a barbárie praticada pelo marido contra a esposa foi presenciada pelos quatro filhos do casal. Após matar a esposa, o autor do crime teria dado a espingarda para o mais velho e pedido que atirasse contra ele. 

Como a tragédia já estava consumada e não havia o que ser feito, o filho temendo o pior jogou a arma no sofá da casa, pegou os três irmãos e ambos se afastaram da casa para pedir ajuda, e homiziar-se numa casa vizinha.  

O sitiante admitiu para os policiais militares que matou sua esposa, alegou que seu casamento tinha um relacionamento muito conturbado, mas que já estava arrependido de ter cometido o crime.  

Fonte: www.correiocentralro.com.br