Correio Central
Voltar Notícia publicada em 17/06/2022

Preso em Ouro Preto do Oeste (RO) suspeito por tráfico internacional de pessoas

A prisão está lgada a investigação sobre a morte de Lenilda dos Santos, que foi abandonada no deserto do México com os Estadaos Unidos.

Redação Correio Central - No final da tarde desta quinta-feira (16), feriado nacional e municipal, do aniversário de Ouro Preto do Oeste (RO), foi localizado e preso na cidade Anderson Jeronimo de Souza, conhecido por “Anderson O pisquila”, 38 anos, a ordem de prisão preventiva foi solicitada  pelo Juízo Federal da 2ª Vara Cível e Criminal (TRF1) de Ji-Paraná.

No começo da noite, uma equipe de policiais federais da Delegacia de Polícia Federal de Ji-Paraná (RO) veio a Ouro Preto do Oeste e recambiou o preso para local não divulgado pelas autoridades. A PF não se manifestou sobre a prisão de pisquila.    

O investigado foi preso pela PF com apoio de agentes da Polícia Civil local em cumprimento ao mandado de prisão em aberto na Justiça Federal. Ele está sendo investigado por suposta participação em crimes de homicídio qualificado e tráfico internacional de pessoas.

O inquérito e a investigação são a cargo da Polícia Federal com o Ministério Público Federal (MPF). Anderson vinha mudando de endereço havia meses, estava sempre alternando seus pernoites em endereços diferentes. Ontem, ele foi flagrado e preso. Imagens: Edmilson Rodrigues e rede social. 

INQUÉRITO APURA MORTE DE LENILDA DOS SANTOS NO DESERTO DO MÉXICO

A reportagem do site Correio Central apurou que a investigação aponta o suspeito como sendo um dos supostos coiotes responsáveis pelo envio do grupo de pessoas que cruzou a fronteira do México com os Estados Unidos em setembro de 2021.

Na ocasião, a técnica de enfermagem Lenilda Santos, de 49 anos, morreu abandonada no deserto de sede e fome. Lenilda morava no município de Vale do Paraíso, e deixou Rondônia no dia 6 de agosto, e a notícia de sua morte foi comunicada para os familiares no dia 15 de setembro. O investigado preso em Ouro Preto teria ameaçado familiares de Lenilda em Vale do Paraíso, e a reportagem confirmou com parentes dela da coação sofrida.  

  Ao tomar conhecimento da morte da técnica em enfermagem, a sua mãe desabafou em um áudio: “Minha filha acabou morrendo no deserto de fome e sede, abandonada pelos amigos que (durante) 30 dias ficaram juntos. Chegou no deserto ela não conseguiu andar, coitadinha e eles foram embora e deixaram ela sozinha no deserto. Ela morreu de fome e sede, nem água deixaram pra ela nem nada de comer”.

Uma parente de Lenilda, ao tomar conhecimento da prisão do suspeito, disse que a justiça deve alcançar também outros culpados pelo abandono da técnica em enfermagem no deserto do México.

SUSPEITO PRESO FOI LEVADO DE OURO PRETO POR AGENTES DA DELEGACIA DE POLÍCIA FEDERAL DE JI-PARANÁ.

Fonte: www.correiocentralro.com.br